15.4.11


Não é que seja exactamente corajoso, o meu coração tem isto de bom: não ocupa espaço com mágoas e, com o tempo, ele tornou-se menos frágil com assuntos de frustração.
Quando dou por mim, lá está a amar outra vez, sorriso de orelha a orelha, com tanto amor que parece que nunca foi ferido. Sim, dá para ver uma cicatriz aqui e ali, outras mais adiante, as cicatrizes não desaparecem, mas ele ignora-as. E eu também aprendi a ignora-las.
Não é que seja exactamente teimoso, o meu coração tem é isto de bom: gosta de amar.
E eu também.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Dás-me um sorriso?